Ministro da Infraestrutura deve sair do cargo para disputar governo de São Paulo

Ministro da Infraestrutura pode revogar tabela de frete
Foto Alberto Ruy/MInfra

Tido como um dos mais técnicos do atual governo, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, deve deixar a pasta no final do mês de março para disputar o governo do estado de São Paulo.

 

Ministro técnico

Antes de ser ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas se formou em engenharia, fortificação e construção pelo Instituto Militar de Engenharia (IME). Alcançou ainda a maior média histórica do curso na instituição. Ou seja, tem formação técnica par atuar na pasta.

Além da formação, tem também experiência no assunto. Foi diretor executivo do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte) de 2011 a 2014. Na sequência assumiu, por determinação da então presidente Dilma Rousseff, a diretoria-geral do órgão. Ficou no cargo até janeiro de 2015.

Posteriormente, atuou como secretário da Coordenação de Projetos da Secretaria Especial do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), que é responsável por programas de privatização, concessões e desestatizações.

Toda essa bagagem fez com que o ministro fosse bastante respeitado no meio dos transportes. Estar sempre presente em rodovias, portos e outros locais onde a infraestrutura realmente precisa de melhoras foi outro ponto positivo.

Para mostrar os feitos da pasta, o ministério costuma publicar um resumo de suas operações. Por exemplo, segundo o próprio ministério, a pasta executou 99,97% do orçamento de 2021. Alguns feitos importantes do ano foram a conclusão da duplicação de 168 quilômetros da BR-163/364/MT, entre Cuiabá e Rondonópolis, a pavimentação de 21 quilômetros na BR-367/MG e o leilão da BR-116 no trecho entre São Paulo e Rio de Janeiro, a Rod. Presidente Dutra.

O ministro também tem bom relacionamento com diversas entidades de caminhoneiros autônomos e empresas de transporte.

 

Questão política

Entretanto, se por um lado a boa reputação construída nos últimos anos foi benéfica para o Ministério da Infraestrutura, por outro é por conta dela que o nome do ministro surgiu como possibilidade para o governo de São Paulo. Em outras palavras, o bom desempenho é o que tira ele da pasta.

Em entrevista à BandNews na semana passada, Tarcísio de Freitas confirmou que deve deixar o ministério até o fim de março para ser candidato ao governo no estado de São Paulo. Ainda não há definição de vice ou chapa.

A perspectiva é de que o secretário-executivo, Marcelo Sampaio, assuma o ministério após a saída de Tarcísio.

Por Paula Toco

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui