segunda-feira, junho 17, 2024

Otimista, Volkswagen contrata, aumenta a gama de caminhões elétricos e busca novos mercados

A Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) chega ao final de 2022 com sensação de dever cumprido. Em seu tradicional almoço de fim de ano para falar sobre o ciclo que termina e dar as expectativas para o próximo, a montadora destacou que conseguiu se organizar com a falta de componentes no mercado (como semicondutores) e conseguiu entregar seus produtos. Sendo assim, a marca acredita que vai fechar mais um ano como líder no segmento de caminhões. Otimista, para 2023 a Volkswagen contrata, aumenta a linha de caminhões elétricos e busca em novos mercados.

 

Novos mercados e investimentos

A Volkswagen já conta com as fábricas do Brasil, em Resende/RJ, e no México, e parcerias de produção na África do Sul e, na busca por novos mercados, chega agora também às Filipinas. Desses locais saem produtos para abastecer toda a América Latina, África, Oriente Médio e Sudeste Asiático. São mais de 30 países com produtos da marca. A montadora quer expandir a presença nessas regiões, com novos países e consolidação nos que já atua. Aliás, a marca faz 25 anos de Argentina em 2023 e pretende se fortalecer no país.

Para atingir esse e outros objetivos, a Volkswagen está em meio a um ciclo de investimento de R$ 2 bilhões. O ciclo começou em 2021 e vai até 2025. Parte desse valor vai para a ampliação da fábrica em Resende e contratação de mais de 200 novos funcionários. Os novos contratados devem atuar tanto na planta quanto na sede administrativa em São Paulo. A montadora ainda deve inaugurar, em breve, um novo centro de tecnologia da informação, para, segundo a marca, fazer frente aos desafios da digitalização e inovação.

“Seguimos otimistas com as perspectivas do mercado e da economia brasileira, acreditando que fecharemos o ano com excelentes resultados para a nossa empresa. Estamos mantendo a liderança acumulada nos licenciamentos de caminhões no país, segundo a Anfavea, e a ainda uma boa vice-liderança em ônibus. Essas contratações vão fazer frente às oportunidades que esse cenário nos proporciona”, afirma Roberto Cortes, presidente e CEO da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

Mulher no board

Lineu Takayama, que se aposenta, Livia Simões, primeira mulher no board da VWCO, e Roberto Cortes, CEO VWCO
Lineu Takayama, que se aposenta, Livia Simões, primeira mulher no board da VWCO, e Roberto Cortes, CEO VWCO

E por falar em contratação, a partir de 2023 a Volkswagen terá a primeira mulher como parte do corpo de diretoria da empresa. Livia Simões será a nova vice-presidente de Recursos Humanos da VWCO. Ela vai suceder a Lineu Takayama, que se aposenta no fim do ano.

Lívia tem 40 anos, é formada em Engenharia de Produção pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, com especializações em Gerenciamento de Pessoas, Liderança e Projetos por escolas como a ESMT Berlin, a Universidade de São Paulo e as Fundações Getúlio Vargas e Dom Cabral e começou como estagiária na empresa há 18 anos.

 

Caminhão elétrico 17 toneladas

E-delivery 17 toneladas
E-delivery 17 toneladas

Já faz mais de 5 anos que a Volkswagen produziu seu primeiro caminhão elétrico no Brasil. Agora, a marca aumenta a capacidade da linha. O e-Delivery 17 vai circular pelas ruas de São Paulo e tem capacidade para transportar 17,3 toneladas, cerca de 3 toneladas de carga a mais que o modelo de e-Delivery 14 (14,5 toneladas).

Embora seja o maior caminhão e-Delivery da família, o modelo mantém as dimensões para operar em zonas de restrição de circulação, como veículo urbano de carga (VUC), e traz eixo dianteiro com maior capacidade de carga, chassi e suspensão reforçados, configuração 6×2, plataforma de carga mais baixa, facilitando a operação de carga e descarga, suspensão a ar integral para maior conforto e rodado duplo em ambos os eixos traseiros.

O veículo traz também uma nova configuração de baterias: quatro packs ou seis packs, atingindo uma autonomia de até 180 quilômetros. O caminhão já inicia testes neste mês de dezembro, com o objetivo de avaliar sua aplicação real com clientes da marca. Esse protótipo chega para atender operações que demandem alta densidade de carga em veículos compactos urbanos e também a distribuição de bebidas com até oito pallets.

 

Saiba ainda:

Caminhões elétricos – veja 5 fatores que mudam para o motorista

 

Por Paula Toco

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados