segunda-feira, maio 20, 2024

Segurança na estrada para caminhoneiros – Tudo que você precisa saber

A primeira coisa a saber é que a profissão de caminhoneiro é uma das que mais mata. Sendo assim, o motorista de caminhão precisa estar atento à segurança na estrada, afinal, é a sua vida que está em jogo.

“Tá, mas como ter segurança nas estradas? O que eu realmente preciso fazer?” A primeira coisa que quem está na estrada precisa pensar é que não importa de quem é a culpa, se é do patrão que exige um horário apertado, se é do governo que não arruma as estradas ou se é da polícia que não prende os ladrões. 

Seja de quem for a culpa, a vida é sua e você precisa fazer o seu máximo para protegê-la. Dito isso, vamos às dicas:

Quais as dicas de segurança na estrada para caminhoneiros? 

Para dirigir na estrada com segurança, não basta apenas ser um motorista consciente. Isso passa também por questões como as manutenções do caminhão, o uso do equipamento correto em determinados tipos de operações e até no bem-estar de quem passa horas ao volante, ou seja, questões ligadas à alimentação, saúde e sono.

Faça manutenção preventiva

Todo mundo sabe que fazer manutenção é importante, ainda assim, muita gente deixa de fazer quando a situação aperta um pouco. O que essas pessoas não levam em conta é o tamanho do problema que a falta de manutenção pode trazer.

Por exemplo: troca do óleo lubrificante do motor no tempo certo

Um balde de óleo de qualidade custa, mais ou menos, uns R$500,00. Se o motorista não troca o óleo no tempo certo, isso pode até fundir o motor. Consertar um motor de um caminhão trucado custa, em média, uns R$30.000,00. Ou seja, daí você já vê a importância da manutenção. Deixou de gastar R$500 e vai ter que gastar R$30 mil. 

Só que o assunto aqui é segurança. Como isso afeta a segurança na estrada? Imagine que esse motor funde enquanto você está tentando uma ultrapassagem, ou enquanto está em um local escuro sem sinal de celular… Isso deixa você em situações muito delicadas no quesito segurança.

“Ah, mas qual a probabilidade de isso acontecer?” Baixa, mas quanto menos você faz a manutenção preventiva, mais você aumenta essa probabilidade. E existe ainda um outro fator muito importante no trânsito: muitas vezes, quando acontece, você não tem uma segunda oportunidade. Por isso é essencial fazer essa manutenção.

Outras vantagens da manutenção preventiva 

Esse foi um exemplo, mas a manutenção preventiva é realizada para impedir a aparição de diversos problemas, evitando acidentes, multas, atrasos em entregas, além de manter o alto desempenho do caminhão. Ou seja, é necessário esse tipo de cuidado para o condutor poder usufruir de questões como:

  • Maior vida útil do caminhão;
  • Melhor dirigibilidade do cargueiro;
  • Redução nas possíveis “paradas indesejadas”;
  • Mais economia para o condutor;
  • Menos gastos com manutenções rotineiras;
  • Maior segurança, diminuindo riscos de acidentes

Por isso, fique atento à calibragem dos pneus, ao sistema de transmissão, à troca de óleo, ao funcionamento dos freios, à refrigeração do motor, à suspensão, ao tanque de combustível e ao sistema elétrico.

Também é importante que o estradeiro registre possíveis problemas e dúvidas que tenha ao longo das viagens e informe aos mecânicos no momento da manutenção preventiva.

Respeite os limites de velocidade

Sabe qual a multa que o brasileiro mais toma ano após ano? Rodar acima do limite de velocidade. Segundo dados do anuário de 2023 da Senatran, a Secretaria Nacional de Trânsito, dentre as 55 milhões infrações registradas no ano, mais de 34 milhões foram punições por excesso de velocidade. 

Muito provavelmente, isso se deve ao fato de motoristas experientes terem o tal do excesso de confiança. O motorista está tão acostumado com aquilo e como nunca aconteceu nada, ele assume que é habilidoso o suficiente para aquela prática. Entretanto, apesar do que pensam muitos motoristas, o excesso de velocidade é apontado por entidades e pela PRF como uma das principais causas de morte no trânsito. 

No caso dos caminhões existe um fator a mais. Estudos constataram que, quanto mais distante o motorista está do chão, menos noção real ele tem de sua velocidade. Ou seja, se você estiver a 90km/h em um fusca, vai achar que está correndo como um louco, já a bordo de um caminhão, os mesmos 90km/h não parecem tão rápidos assim. Isso faz com que o caminhoneiro e o motorista de ônibus tenham que ter ainda mais cuidado com o velocímetro. 

Então, seguem aqui duas dicas de como evitar acidentes e aumentar a segurança na estrada:

1 – se o seu veículo tem piloto automático ou qualquer tipo de aviso de velocidade, use

2 – por mais experiente que você seja, lembre-se que, se um dia sua experiência não for o suficiente, alguém vai chorar a sua ausência, então, às vezes uma foto da família no painel faz um bom trabalho no controle da velocidade

Respeite os limites do seu corpo

O que é a segurança no trânsito? Se uma pessoa dorme mal em casa e depois cochila ao volante e causa um acidente, isso é uma questão de saúde ou de segurança no trânsito? Percebe que essa segurança está ligada a outros fatores que acontecem fora da estrada?  Por isso, mesmo lidando com prazos a todo momento, o estradeiro também deve fazer algumas paradas para cuidar de sua saúde. 

Os hábitos e as condições de trabalho fazem com que hipertensão arterial, excesso de peso e diabetes sejam doenças muito comuns entre os caminhoneiros. Por isso, cuide da alimentação, faça exercícios e aproveite programas como o Caminhos para Saúde para cuidar da sua quando para em um pátio de posto. 

Escute seu corpo 

Outro ponto essencial é o descanso. Uma boa noite de sono bem dormida, aquela que faz o ser humano se questionar onde está ao se levantar, é fundamental para um melhor desempenho do estradeiro em mais um dia de trabalho. Então, ao bater o cansaço, encoste em um ponto de parada ou num pátio de posto e durma.

“Ah, mas o patrão pede pra não parar”. Se você se acidentar e faltar à sua família, o patrão vai cuidar dela? Emprego, você encontra outro, mas seus filhos não encontrarão outro pai ou seus pais não encontrarão outro filho.

Para diminuir o sono na estrada, além da boa noite dormida, comer alimentos leves antes de dirigir também é uma boa. Carnes e outros alimentos pesados exigem muita energia do corpo na digestão, por isso dão sono.

Uma outra dica simples é, não dirija com vontade de fazer xixi. A sua bexiga, como o nome já diz, é como um balão. Um balão vazio não estoura fácil, mas e um balão cheio? Com a bexiga é o mesmo. Em um acidente, se você estiver com a bexiga cheia, ela pode se romper e levar você à morte. Então respeite quando seu corpo pede aquela paradinha pro pipi.

Cuidar da saúde bucal também é importante. Clique aqui e veja dicas para aplicar na estrada.

Uso do cinto de segurança

Quem sai de casa para se envolver em um acidente de trânsito? Ninguém em sã consciência. Sendo assim, as 35 mil pessoas que morrem no trânsito todos os anos saíram de casa com a certeza de que voltariam. E o cinto de segurança é um grande divisor entre os que voltam pra casa e os que viram estatística.

Um exemplo claro disso foi um acidente na Zona Sul da cidade de SP em janeiro de 2022. Um carro com quatro pessoas capotou. Os dois ocupantes do banco da frente estavam de cinto e tiveram apenas ferimentos leves. Já as duas ocupantes do banco traseiro estavam sem cinto. Uma delas veio a óbito no local e a outra foi socorrida em estado grave. 

Com isso, e considerando que a gente nunca sabe quando pode se envolver em um sinistro de trânsito, use sempre o cinto e exija que todos os ocupantes do veículo utilizem também.

E se a segurança na estrada, sua e dos outros, não é suficiente, só pra ajudar no convencimento, vale sempre relembrar que o uso do cinto é obrigatório de acordo com o art. 167 do CTB. Caso não haja o uso por parte de motoristas e passageiros, a infração é considerada grave e a punição prevista é de R$195,23, além de cinco pontos na CNH.

Logo, entrou no bruto, coloca o cinto!

Comunicação e monitoramento

Com o avanço das tecnologias, cada vez mais empresas investem em sistemas de monitoramento no transporte de cargas. Serviços de telemetria e desempenho nas rodovias são utilizados para maior acompanhamento dos motoristas nas vias ao longo de seus trajetos.

Em alguns casos, transportadoras instalam câmeras internas nas cabines para observar o comportamento do estradeiro ao longo das viagens, medindo dados como velocidade, possíveis ações imprudentes, riscos nas estradas, nível de fadiga do motorista, entre outras funções. 

Apesar de muitos motoristas verem essas tecnologias como “dedo-duros” ou invasão de privacidade, elas têm trazido redução nos acidentes. Ou seja, quando monitorada, a pessoa dirige melhor e se envolve menos em acidente. E se a segurança na estrada está aumentando, então fica difícil ser contra.

Planeje as rotas com antecedência

O que favorece a segurança no trânsito? Conhecer as estradas e rodovias por onde serão realizados os trajetos. Se você já conhece uma rota, já sabe os locais seguros onde pode parar. Se tiver algum problema no caminho, já sabe onde conseguir ajuda. Por exemplo, quem pega trechos que costumam atolar, já sabe que precisa carregar cabo de aço e abastecer bem a caixa cozinha. 

“Mas e se eu não conheço a rota?” Então peça ajuda para quem conhece. Pergunte aos colegas onde parar, que horas rodar, que trechos evitar.

O motorista que planeja sua rota ainda pode escapar de trechos urbanos com congestionamentos em horários específicos do dia ou evitar passar por áreas de restrição a caminhões. Aliás, se quiser consultar se uma cidade tem restrições a caminhões ou não, dê uma olhada em nosso Mapa de Restrições

Um estradeiro que se planeja, evita problemas nas viagens e aumenta sua segurança na estrada.

Equipamentos de segurança

A preocupação com segurança no trânsito está cada vez maior, então, as montadoras de caminhões têm investido mais e mais em veículos mais seguros. Por exemplo, os cintos de segurança são acoplados ao próprio banco do motorista dos caminhões mais novos. Isso permite que ele se molde melhor ao corpo, trazendo mais conforto e segurança. Entretanto, para ele ter o efeito esperado, tem que usar, né?

Algumas marcas já fazem seus caminhões com faróis auxiliares na parte superior. Esse farol é para uso em rodovias escuras e fora de estrada. Porém, uma ferramenta de segurança pode virar de insegurança, pois alguns motoristas usam essas luzes quando estão circulando perto de outros veículos, ofuscando outros condutores, o que pode levar a acidentes. Ou seja, não adianta ter o equipamento de segurança se o motorista não souber usar.

Outro exemplo disso é o kit com cones e triângulo. Eles servem para sinalizar um acidente ou problema mecânico. Se o caminhoneiro não faz uso, outro veículo pode não ver o primeiro parado e se chocar contra ele. 

Por fim, uma dica de equipamento de segurança: colete ou outra peça de roupa refletiva. Na Europa, é obrigatório usar algum item refletivo sempre que o motorista, de carro, moto, caminhão ou o que for, sai do veículo e vai para a via. Isso porque o uso do colete faz com que o motorista seja visível muito mais longe, consequentemente diminuindo as chances de atropelamento ou outro acidente.

Parar no acostamento

Para que serve o acostamento? Para paradas estratégicas, certo? Errado. Acostamento só serve para emergências. Se alguém está te ligando, se você quer fazer xixi, se ouviu que tem uma pedra no pneu, nada disso é emergência. Para todas essas situações você deve parar em um posto, entrada de fazenda ou qualquer outra abertura que não seja perto da pista.

“Por quê?” Porque o acostamento é perto demais da pista, onde os veículos estão em alta velocidade. Se alguém perde o controle do caminhão, pra onde ele joga? Para o acostamento. E, se você estiver lá nesse momento, pode se envolver em um acidente. Infelizmente, muita gente morre no acostamento. 

Se o seu veículo der pane e você realmente precisar parar lá, não espere o socorro dentro do veículo. Vá para trás do guard-rail ou para outro local longe da pista, em segurança. 

Seguro de carga

Um seguro de carga é super importante para proteção não somente do conteúdo, como também do próprio motorista. As empresas, ao realizarem serviços de entrega por todo país, precisam ter um seguro disponível para garantir não somente a integridade dos produtos, mas para também pensar no motorista em casos de possíveis acidentes ou saques.

Sobre o tema, está em vigência atualmente a Lei 14.599/2023, que, entre outras mudanças, alterou pontos ligados ao seguro de cargas. Vale destacar que os transportadores, sendo caminhoneiros autônomos ou empresas cooperativas, devem contratar obrigatoriamente seguros de cargas de três tipos:

  • 1°) Responsabilidade civil para cobertura de perdas ou danos causados por colisão, abalroamento, tombamento, capotamento, incêndio ou explosão;
  • 2°) Responsabilidade civil para cobertura de roubo, furto simples ou qualificado, apropriação indébita, estelionato e extorsão simples ou mediante sequestro afetando a carga durante o transporte;
  • 3°) Responsabilidade civil para cobrir danos corporais e materiais causados a terceiros pelo veículo utilizado no transporte rodoviário de cargas.

Fazer transporte sem esse seguro pode render uma dor de cabeça enorme. Isso porque a carga costuma ter um valor muito alto, às vezes maior até que o do caminhão. Sem seguro, um prejuízo desse pode levar uma empresa à falência.

Manter distância dos veículos a sua frente

Todo mundo sabe que precisa manter essa distância, mas tem gente que cola na traseira do outro e não acha que está perto demais. Então, o que é essa distância de segurança? Uma forma simples de saber é usar a regra dos dois segundos. 

Calculando a distância segura 

Marque um ponto fixo na rodovia, um poste, uma placa, uma passarela. Quando o veículo à sua frente passar por ele, conte 1 Mississipi, 2 Mississipi. Se antes de você terminar de contar o segundo Mississipi você já tiver chegado ao ponto fixo, então você está perto demais.

Quando você está em um caminhão, a sugestão é aumentar para 3 segundos. Se está muito carregado ou se o piso está escorregadio, melhor aumentar ainda mais.

Outra dica fácil para quem está no carro e na cidade é, você consegue ver os pneus do carro da frente? Caso não consiga, está perto demais. Na estrada, obviamente, você dá mais distância. 

Segundo dados do Observatório Nacional de Segurança Viária, mais de 6,5 mil sinistros ocorreram por conta da pequena distância para o veículo da frente.

Falta de atenção 

Não manter a distância segura do veículo da frente agrava ainda uma outra prática cada vez mais comum no trânsito, a falta de atenção. A falta de atenção é um dos maiores causadores de sinistros nas rodovias brasileiras. A reação tardia ou ineficiente é a principal causa de acidente segundo dados divulgados pelo Observatório Nacional de Segurança Viária. Ao todo, mais de 14,8 mil sinistros em 2023 foram gerados pela demora na reação do condutor.

A situação é mais ou menos assim: como a pessoa está dando atenção ao celular, demora para perceber que o trânsito parou ou que chegou à uma curva ou qualquer outra mudança à frente. Se ela demorar para perceber, ela vai precisar de mais espaço para frear do que precisaria se estivesse atenta. Porém, como ela, ainda por cima, não está respeitando a distância de segurança, o acidente se torna inevitável. 

Dirija com cuidado

Parece óbvio, mas, se fosse mesmo tão óbvio, a gente não veria tantas mortes na estrada. O problema é que a gente dirige há tanto tempo que a atividade vai ficando automática e a gente vai deixando de prestar atenção. Quando toma algum susto, aí a gente fica atento pelos próximos quilômetros, mas depois vai entrando no automático de novo. 

Por isso, já sabendo que seu cérebro vai tentar desviar a sua atenção para outras coisas, sempre que lembrar, volte sua atenção para o ato de dirigir e para os cuidados que você precisa ter ao volante. 

E quando falamos em dirigir com cuidado, é sempre procurar o perigo. Vai passar por uma faixa de pedestre? Procure o pedestre. Se não tem, ótimo, mas se tem, a sua chance de vê-lo é muito maior quando você está procurando por ele.

Vai passar por um cruzamento, procure os veículos do outro lado. Se não tiver nenhum ou se todos estão parados, ótimo, mas se alguém estiver fazendo qualquer irresponsabilidade, você vai vê-lo.

Verifique as condições climáticas

Estar atento às condições climáticas nas viagens também é muito importante para a segurança na estrada. Em trechos de serra ou próximos a regiões litorâneas, a neblina é praticamente uma companheira dos condutores nas viagens. De junho a setembro, a incidência de neblina é maior em virtude dos dias mais frios. Em outras palavras, esse fenômeno climático traz um grande risco para quem trafega nas rodovias, devido à menor visibilidade, especialmente durante as madrugadas e início das manhãs. Logo, a atenção deve ser redobrada.

A chuva também é uma condição adversa que deve mudar a forma de dirigir dos condutores. A atenção deve ser redobrada quando as pistas estão molhadas, pois podem acontecer situações como a aquaplanagem, que é um fenômeno no qual os pneus dos veículos não conseguem remover a lâmina d’água sob eles e perdem o contato com a pista. Logo, sem a aderência ideal, o motorista está sujeito a possíveis sinistros.

Dessa forma, é um ponto essencial olhar a previsão do tempo nos locais em que você irá passar ao longo da viagem, para evitar problemas gerados pela mudança no tempo, buscando maior segurança nas estradas.

Confira algumas dicas para rodar no trecho em momentos de condições adversas geradas por neblina e/ou chuva:

  • Reduza gradualmente a velocidade;
  • Mantenha distância segura do veículo à frente;
  • Nunca utilize o farol alto;
  • Nunca pare na pista e evite parar no acostamento. Se precisar estacionar, pare fora da rodovia, em um posto de serviços;
  • Nunca acione o pisca-alerta com o veículo em movimento. Os motoristas que vêm atrás podem pensar que o seu veículo parou na pista;
  • Atenção aos avisos dos painéis de mensagens variáveis (PMVs) espalhados ao longo da rodovia.

Outras dicas para climas adversos: 

  • Evite sair de viagem debaixo de chuva forte, espere passar;
  • Pesquise se há deslizamentos ou risco de deslizamento na sua rota;
  • Nunca rode a noite com chuva em local com histórico de deslizamento, pois você não terá visibilidade para julgar se é seguro passar

Verifique os faróis e luzes do veículo 

Checar o funcionamento dos faróis do caminhão é algo de suma importância, já que não utilizar os faróis do veículo à noite é passível de punição de acordo com o artigo 250 do CTB. O condutor que dirigir com as luzes apagadas no período noturno está cometendo uma infração média, podendo receber uma multa de R$130,16 e 4 pontos na carteira. Além disso, estão sujeitos à mesma penalidade os condutores que substituem o farol baixo pelo alto ou pelo DRL e também aqueles que não acendem o farol baixo durante a noite.

Ao realizar uma manutenção preventiva, o motorista pode realizar a troca de lâmpadas que estejam falhando ou prestes a queimar. Ter os faróis em um bom funcionamento, garante a segurança de todos os envolvidos no trecho, pois evita acidentes e melhora a visibilidade do condutor na via.

Evite paradas em locais desertos

Muitas vezes o motorista identifica algum problema no veículo e quer parar imediatamente para verificar. Essa prática pode não ser a mais indicada. Parar em lugares desertos pode afetar a sua integridade física, além de te expor a possíveis acidentes. 

Se o problema não fizer o veículo parar de funcionar, o ideal é seguir até um local mais iluminado, seguro e com sinal de celular para chamar um eventual socorro. Tenha sempre o número da concessionária da via onde você está ou da polícia.

Como lidar com imprevistos na estrada?

Uma dica fundamental é: mantenha a calma. Não dá pra negar o quão estressante é o ambiente de uma rodovia, por conta de barulho, cansaço e outros fatores. Mas o motorista experiente consegue raciocinar e buscar uma solução se estiver calmo e concentrado na atividade.

  • Tenha sempre à mão os telefones das polícias e concessionárias que atendem o local. 
  • Caso seu veículo tenha que ficar no acostamento, tire todos os ocupantes dele e leve-os para um local seguro ou atrás do guard-rail
  • Se presenciar acidente com outro veículo, avise o responsável pela via (veja aqui o guia completo do que fazer nesse caso)
  • E, de novo, mantenha a calma para pensar melhor

Avise um amigo

Se este texto está te trazendo dicas importantes e úteis, aproveite e mande para um amigo ou familiar que você quer ver em segurança na estrada.

Gostou deste conteúdo? Se sim, compartilhe! E se você quiser conferir mais assuntos relacionados a este, visite nosso site.

Conclusão

Já deu para ver que sentar-se ao volante é assumir uma baita responsabilidade. Então, é necessário mais uma vez destacar o quão importante é ter consciência dos riscos que existem ao se guiar um veículo pesado. 

Portanto, ser um motorista prudente ao volante que busca segurança na estrada envolve muitas áreas, mas essa prática se paga toda vez que o caminhoneiro chega são e salvo em casa para encontrar quem espera ansioso por ele lá.

Por Daniel Santana e Paula Toco

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados