Anfavea destaca alta nas vendas de caminhões no acumulado do ano e crise global de semicondutores

Caminhões nas ruas
Queda nas vendas de caminhões e crise global foram destaques em coletiva da Anfavea

Nesta segunda-feira (6), a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) apresentou dados referentes ao desempenho da indústria automobilística no mês de novembro. Nesse sentido, foi possível observar uma alta no acumulado do ano com 46,3% em relação ao mesmo periodo de 2020.

Em contrapartida, vale destacar a queda nas vendas de caminhões no último mês se comparado a outubro, com uma diminuição de 5,2%. Em contraponto

Além disso, também foi destaque a crise global de semicondutores, que vem causando sérios problemas às montadoras desde o início de 2021. Os percalços gerados pela falta de peças na produção de veículos estão resultando em paralisações, férias coletivas e até demissões em massa nas fábricas.

Ao todo, 173 mil autoveículos foram licenciados em novembro, totalizando um recuo de 23,1% sobre o mesmo mês em 2020. Vale destacar que este foi o pior desempenho do mês de novembro em 16 anos.

Os números de Caminhões e Ônibus

  • Mercado Interno (Nov/2021):

Números Mercado Interno. Houve queda nas vendas de caminhões
Dados em Azul: Caminhões / Dados em Cinza: ÔnibusDivulgação: Anfavea

Em relação aos caminhões, foram 10.5 mil unidades vendidas no ultimo mês, totalizando uma queda de 5,2% nas vendas em comparação com outubro, que teve 11 mil veículos comercializados. Por outro lado, na análise com novembro de 2020, houve um crescimento de 14,5% em veículos vendidos.

Sobre os ônibus, é possível constatar uma subida de 15,2% em contraste ao mês anterior, com cerca de mil unidades comercializadas. Todavia, o número não foi tão satisfatório se comparado com novembro de 2020, pois houve queda de 24,9% nas vendas.

  • Mercado Interno (Acumulado do Ano):

Acumulado Mercado Nov 2021. Queda nas vendas de caminhões
Dados em Azul: Caminhões / Dados em Cinza: Ônibus. Divulgação: Anfavea

Sobre o acumulado do ano, o segmento de caminhões apresenta alta de 46,3% em relação a 2020, com 116,8 mil veículos vendidos. Até o momento, são 37 mil vendas a mais que no ano passado, quando 79,8 mil caminhões foram adquiridos de janeiro a novembro.

Já entre os ônibus, foi observada uma ligeira alta de 0,7% no número de vendas se comparado a 2020, com 12,9 mil veículos comercializados no país.

  • Produção (Nov/2021):

Numeros produção
Dados em Azul: Caminhões / Dados em Cinza: Ônibus. Divulgação: Anfavea

Mesmo com os efeitos da crise, a produção de caminhões teve crescimento de 4,7% em comparação ao mês anterior, com cerca de 14.4 mil unidades produzidas. Além disso, os números também foram satisfatórios em relação a novembro de 2020, com uma alta de 25,3% na produção. Assim como no segmento de ônibus, onde houve uma elevação de 21,4% na produção se comparada a outubro, com 1.6 mil unidades.

Já em relação a 12 meses atrás, o segmento apresentou queda no número de veículos produzidos, com uma baixa de 7,2% na comparação entre novembro de 2020 e novembro de 2021.

  • Produção (Acumulado do Ano):

Acumulado Produção Nov 2021
Dados em Azul: Caminhões / Dados em Cinza: Ônibus. Divulgação: Anfavea

No acumulado do ano, o setor de caminhões tem 146,4 mil veículos produzidos até o momento. Vale destacar que mesmo com a atual crise de semicondutores, o número é 82% maior que o de 2020.

Além disso, em relação ao segmento de ônibus, temos uma leve subida nos números. Em suma, 17,5 mil veículos foram comercializados até o momento, sendo 0,3% a mais que no ano passado.

Licenciamento de Veículos (Novas tecnologias de propulsão)

Uma informação interessante apresentada pela Anfavea é ligada ao licenciamento de caminhões e ônibus movidos à gás e a eletricidade em 2021. 

Licenciamento de Veículos (Novas tecnologias de propulsão)
Divulgação: Anfavea

Em outras palavras, 329 veículos movidos com estas tecnologias de propulsão foram comercializados no país, sendo 249 elétricos e 80 a gás. Em suma, houve um crescimento de 0,3% no percentual de vendas deste modelo de caminhões e ônibus, se comparado à 2020.

O que espera a Anfavea para 2022?

Queda nas vendas de caminhões
Imagem: PNE

Logo após a apresentação dos dados, Gustavo Bonini, um dos vice-presidentes da Anfavea, comentou brevemente sobre a queda nas vendas de caminhões e a perspectiva para o setor de caminhões em 2022. Ele afirma que ainda não há projeções definidas para 2022, mas adianta que alguns fatores podem influenciar no crescimento ou não para o segmento.

“Há fatores que podem puxar o segmento e outros que devem ser superados pelas montadoras. Existem algumas breves estimativas boas ligadas as safras que podem exigir uma grande demanda de caminhões. Por outro lado, há a inflação e as revisões do PIB que também impactam diretamente o transporte, o problema da falta de semicondutores é um grande desafio. […] Então, a gente terá muitas oportunidades e também vários desafios a serem superados.”

Em suma, a Anfavea não pretende divulgar nenhuma previsão no momento, devido às indefinições e a situação do mercado.

Veja Também: Ritmo de vendas de caminhões segue acelerado, mas semicondutores ainda preocupam mercado

 

Por Daniel Santana com informações da Anfavea

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui