quinta-feira, abril 18, 2024

Motorista evita acidente maior e tem caminhão preso em postes e árvores

Que o desemboque das rodovias que chegam a São Paulo é precário, isso todo motorista, independentemente do tipo de veículo, já sabe. 

Rodovia como a Régis Bittencourt, principal ligação com o Paraná, por exemplo, termina em um semáforo em pleno centro comercial de Itapecerica da Serra (SP). 

Na Raposo Tavares, a história não é diferente, e para sair do trânsito intenso das manhãs, prejudicado pelas obras de recapeamento da avenida Francisco Morato, muitos motoristas utilizam a rua Antônio Mariani, no Butantã. 

A rua é arborizada, em área residencial, mas que tem o fluxo afetado sempre que a Raposo Tavares tem trânsito. 

 

Acidente no Butantã 

Na manhã de 29 de fevereiro, o motorista William Augusto, de 33 anos, precisou desviar de um automóvel que fez uma conversão para esquerda sem sinalizar. A manobra de emergência fez o container, carregando tesouras escolares, engatar em uma das árvores, fazendo com que o motorista perdesse totalmente o controle. 

No mesmo horário do acidente, por volta das 7h, a poucos metros da colisão, pais de alunos estavam deixando seus filhos na escola. Ou seja, por cerca de meia quadra, o estrago não foi maior. Veja o vídeo abaixo com mais detalhes. 

Augusto contou para o Pé na Estrada que o próprio GPS o indicou para a rota. 

“O carro converteu para a esquerda na minha frente e sem sinalizar, na hora não deu tempo de frenar e eu precisei tirar para o lado para não atingir ele. Eu só não esperava engatar tudo no poste e na árvore. Por sorte foi antes da escola”, explica o motorista que está há mais de 10 anos na estrada e que trabalha como autônomo para uma transportadora de Curitiba (PR). 

No momento em que colidiu com o poste, o caminhoneiro contou que começou a sair faísca para todos os lados e os pedestres pediram para ele esperar antes de descer. 

Apesar do estrago na cabine, o motorista saiu praticamente ileso do susto. Só teve ferimentos leves. O próprio policial militar que fez o Boletim de Ocorrência dispensou a perícia. 

 

Caminhoneiro descansado 

Quando o Pé na Estrada perguntou ao motorista sobre as paradas, Augusto disse que saiu de Curitiba às 15h e parou em um posto de descanso da seguradora da transportadora, na Raposo Tavares. 

O acidente ocorreu quando ele tinha acabado de partir e o destino final estaria no Campo Belo, bairro a uns três quilômetros do local do acidente.

A seguradora da transportadora já tinha sido acionada na hora que a reportagem chegou. Um caminhão iria ao local retirar o FH 12 de 2005 acidentado e outro será o responsável pela retirada da carga. 

A companhia de energia desligou os fios de alta tensão e os bombeiros ficaram responsáveis pelo corte das árvores. Por fim, a prefeitura vai ficar responsável pela recuperação das calçadas e da via. 

 

Por Rodrigo Samy 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados