ANTT inicia pesquisa com transportadores para revisar a tabela dos pisos mínimos de frete

ANTT inicia pesquisa com transportadores para revisar a tabela dos pisos mínimos de frete
Imagem: PNE

Na última segunda-feira (11), a Empresa de Planejamento e Logística (EPL), em parceria com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), deu início a uma pesquisa eletrônica que pretende revisar a tabela dos pisos mínimos de frete no transporte rodoviário de cargas.

Como funcionará a pesquisa?

Com 12 itens, o questionário pode ser respondido por cooperativas, empresas e transportadores autônomos que atuam no setor rodoviário de carga, conforme a Lei nº 13.703/2018. Em média, cada colaborador leva aproximadamente cinco minutos para preencher e responder o formulário. Os itens disponíveis na pesquisa são:

  • Opções de transportador em que se enquadra;
  • Quilometragem média mensal percorrida (Km);
  • Velocidade média (Km/h);
  • Rendimento médio do combustível (Km/l);
  • Despesa média por veículo do conjunto principal com manutenção no último ano (R$) – Não abrangendo gastos com pneus e lubrificantes;
  • Vida útil dos pneus de rodagem, sem recapagem (Km);
  • Vida útil dos pneus de rodagem, com recapagem (Km);
  • Número de lavagens por mês;
  • Tempo médio de carregamento por operação (Horas);
  • Tempo médio de descarregamento por operação (Horas);
  • Qual a média de horas (h) semanais trabalhadas por motorista?;
  • Localidade da sede do transportador;

Além do formulário digital, a ANTT realizará entrevistas via telefone, por todo o Brasil para coletar o preço médio de todos os insumos necessários para as operações, como pneus e óleo de motor. Custos com licenciamentos e tributos também serão levantados.

Após o encerramento da pesquisa, os dados serão compilados e aplicados na próxima revisão, prevista para janeiro de 2023, da metodologia da Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas, que traz o valor mínimo a ser pago por quilômetro. A tabela de fretes é publicada semestralmente pela ANTT.

Vale destacar que o questionário ficará disponível até o dia 20 de julho. Para responder a pesquisa, os interessados devem acessar o pesquisa.epl.gov.br

Se você é transportador, aproveite a oportunidade e preencha a pesquisa.

A última atualização na tabela do frete

Tráfego de veículos em uma ponte
Imagem: PNE

A mudança mais recente na tabela do frete aconteceu no dia 24 de junho (sexta-feira) por meio da Portaria nº 210/2022. A atualização se deu por conta do último aumento no preço do Diesel pela Petrobras, de 14%. Como já informamos aqui no Pé Na Estrada, o combustível teve uma elevação de quase 50% nos últimos quatro meses.

Na época, o reajuste já era aguardado pela categoria, uma vez que com a última subida do diesel, o gatilho foi ativado. Desde maio, o gatilho caiu para 5%, mas nem precisaria ter baixado, uma vez que a variação nas bombas medida pela ANP, a Agência Nacional de Petróleo, foi de 13,73%. O preço base usado oficialmente para o cálculo é o do diesel S10. Ele alcançou o valor de R$ 7,678 por litro entre 19 e 25 de junho.

  • Para saber os novos valores do piso mínimo de fretes, clique aqui.
  • Para calcular seu frete, use a nossa calculadora clicando aqui.

O cálculo de frete

Em nosso canal do YouTube Trucão & Toco, Paula Toco explicou o que mudou na recente alteração da lei do piso mínimo, para tentar fazer o frete acompanhar as constantes elevações no preço do Diesel. Saiba também como funciona o novo cálculo de frete e o que fazer para denunciar quem não paga o piso mínimo. 

Clique no vídeo abaixo e sane suas dúvidas:

Veja Também: ANTT atualiza valores do piso mínimo de fretes

 

Por Daniel Santana com informações da ANTT

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui