quinta-feira, abril 18, 2024

Após processo de licitação, começam os trabalhos nos Lotes 1 e 2 de rodovias paranaenses

Começaram na última quarta-feira (28) as atividades dos Lotes 1 e 2 das rodovias paranaenses. Há alguns dias, um evento em Curitiba marcou a autorização dos trabalhos pela ANTT, a Agência Nacional de Transportes Terrestres.

Com a assinatura dos contratos de concessão, que abrangem mais de mil quilômetros de estradas estaduais e federais, a expectativa de investimento de R$ 30,4 bilhões ao longo de 30 anos promete melhorias para a mobilidade e o desenvolvimento econômico da região.

Ao longo de todo o processo, desde o encerramento dos contratos antigos até a batida do martelo das novas concessões, o Pé Na Estrada sempre esteve acompanhando a situação das rodovias do estado do Paraná.

Os Lotes:

  • Lote 1:

Grupo Pátria vence leilão e administrará lote 1 de rodovias do Paraná com oferta de 18,25% na tarifa
Imagem: Google Maps

Em 25 de agosto, o Grupo Pátria venceu o leilão para a administração do primeiro lote do sistema de rodovias paranaenses com uma oferta de desconto de 18,25% nos pedágios. Dessa forma, a empresa passa a gerir o trecho de 473,1 quilômetros de rodovias federais e estaduais que conectam o porto de Paranaguá à Região Metropolitana de Curitiba e à Ponte da Amizade, na fronteira com o Paraguai, por 30 anos.

Nos trechos definidos no lote 1, já existem 5 praças de pedágio: Imbituva, São Luiz do Purunã, Irati, Porto Amazonas e Lapa, que serão restauradas e modernizadas para atender às demandas represadas e necessidades da região.

  • Lote 2:

Grupo EPR vence leilão e irá gerir o lote 2 de rodovias do Paraná. BR-369 em Ibiporã (PR). Imagem: Google Maps
Imagem: Google Maps

Já em 29 de setembro, o Grupo EPR venceu o leilão para a administração do lote 2 do sistema de rodovias do Paraná, em um leilão realizado pela ANTT, a Agência Nacional dos Transportes Terrestres, na B3 em São Paulo (SP). A empresa foi a única a apresentar proposta na disputa, oferecendo desconto de 0,08% nas tarifas de pedágio.

A concessionária irá administrar por 30 anos o trecho de quase 605 km das BRs-153/277/369 e das rodovias estaduais PR 092/151/239/407/408/411/508/804/855, conectando importantes pontos da região, como o Porto de Paranaguá e a Região Metropolitana de Curitiba, bem como o acesso aos municípios paulistas de Ourinhos e Itararé.

Ações ao longo da concessão

As concessionárias agora assumem o desafio de manter, modernizar e expandir a infraestrutura rodoviária, com planos ambiciosos que incluem duplicações, faixas adicionais, vias marginais, ciclovias, viadutos, trincheiras e outras melhorias estruturais nessa malha viária integrada.

Além disso, inovações tecnológicas prometem facilitar a vida dos usuários, com descontos progressivos para quem utiliza tags de cobrança automática e a implementação futura do sistema free flow, que cobrará proporcionalmente ao trecho percorrido.

E os pedágios? Como ficam?

Praças de pedágio no Paraná são desativadas, como essa em São José dos Pinhais
Imagem: Ari Dias, ANE, Governo do Paraná

Já destacamos mais acima as percentagens definidas pelas vencedoras nos leilões de concessão. No entanto, as cobranças de tarifas nas praças de pedágio dos Lotes 1 e 2 do Paraná ocorrerão somente após a completa revitalização das praças, sujeita à vistoria técnica da ANTT.

Após a conclusão das obras, as empresas acionarão a Agência para a vistoria. Portanto, ainda não é possível prever o início do pagamento das tarifas, dependendo da etapa de recuperação das estruturas.

Veja Também: DNIT aplica melhorias na BR-373, no Paraná

Por Daniel Santana com informações da ANTT

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados