CCR pretende investir cerca de 26 bilhões em novas concessões da Dutra e da Rio-Santos

CCR pretende investir cerca de 26 bilhões em novas concessões da Dutra e da Rio-Santos
Imagem: PNE

Na última sexta-feira (4), a CCR recebeu as novas concessões da Rodovia Presidente Dutra (BR-116) e da Rio-Santos (BR-101), entre as cidades de Ubatuba e o Rio de Janeiro. Dessa forma, a concessionária administrará as vias pelos próximos 30 anos e pretende investir cerca de R$ 26 bilhões em obras de ampliação de capacidade de tráfego e na operação das duas vias.

As melhorias previstas nas novas concessões da Dutra e da Rio-Santos

Rodovia Presidente Dutra (Fonte: ABCR)
Rodovia Presidente Dutra (Fonte: ABCR)

Obras:

De acordo com o Programa de Exploração da Rodovia, o PER, estão previstas uma série de melhorias nas duas rodovias, entre elas: 

  • 80 quilômetros de duplicações; 
  • 590 quilômetros de faixas adicionais, sendo 557 quilômetros só na Dutra; 
  • 128 passarelas; 
  • 144 quilômetros de vias marginais; 
  • 144 dispositivos e interseções (novos e remodelados); 
  • 535 pontos de ônibus;
  • Quatro áreas de descanso para caminhoneiros (três na Dutra e uma na Rio-Santos); 
  • 59 corredores para passagens de animais. 

Ainda é esperada a construção de 21 Bases de Serviço Operacional (BSO) para apoio das equipes de atendimento médico de emergência, mecânico e demais incidentes nas vias, sendo 11 na BR-116 (que conta com nove bases em operação atualmente) e 10 novas bases que serão construídas na BR-101.

Modernização em iluminação e câmeras

Além disso, o novo contrato de concessão ainda prevê iluminação inteligente nas vias, com 100% de iluminação na BR-116. A previsão é que a BR-101 seja iluminada em todos os trechos urbanos da via.

Haverá ainda disponibilização de conectividade, o monitoramento completo da Via Dutra com 520 câmeras (CFTV), além de 1.282 câmeras de detecção automática de incidentes (DAI). Esse sistema tem por objetivo agilizar o atendimento de ocorrências nas rodovias, emitindo alerta ao Centro de Controle Operacional (CCO) para a presença de veículos quebrados ou parados na rodovia ou no acostamento.

Pedágio Free Flow

Praça de pedágio
Imagem: PNE

Uma das grande novidades do contrato é a implementação do sistema de pedágios Free Flow, entre São Paulo e Arujá.

Vale lembrar que o pedágio free-flow (fluxo livre, em inglês) estabelece a livre passagem de veículos na cobrança de pedágios em rodovias e vias urbanas. Dessa forma, o motorista irá pagar um valor proporcional aos quilômetros rodados na rodovia ou rua pedagiada. De acordo com a Lei 14.157/2021, não há necessidade das praças de pedágio.

Desconto de Usuário Frequente (DUF)

Outra novidade é o Desconto de Usuário Frequente, o DUF, desconto progressivo de até 73%, direcionado para carros de passeios que possuem TAGs e utilizam as pistas automáticas. Os motoristas começarão a receber descontos a partir da segunda passagem pela mesma praça e mesmo sentido de direção realizadas dentro do mês. Os valores terão redução progressiva até a 30ª passagem, no mesmo mês por sentido de cada praça. Na Via Dutra, o DUF já está valendo nas cinco praças de pedágio.

Vale destacar que, segundo o contrato de concessão assinado entre a concessionária e a ANTT, o DUF contemplará os veículos das seguintes categorias:

  • Categoria 1 (veículos leves tipo automóvel, caminhonete e furgão);
  • Categoria 3 (veículos leves tipo automóvel, caminhonete e furgão com semirreboque);
  • E Categoria 5 (veículos leves tipo automóvel, caminhonete, furgão com reboque) que utilizam as pistas automáticas.

Além disso, o Desconto Básico de TAG, o DBT, garantirá mais 5% de desconto para todos os clientes que passarem pelas cabines automáticas.

Reformas no Trecho Paulista:

As intervenções em território paulista serão de R$ 7,4 bilhões do total de investimentos previstos no contrato – R$ 3,9 bilhões apenas para a ampliação de capacidade das rodovias. Na região metropolitana de São Paulo serão alocados R$ 1,4 bilhão para transformar o trânsito e facilitar o acesso ao Aeroporto de Guarulhos.

Espera-se que as melhorias reduzam o tempo de viagem entre o aeroporto internacional de São Paulo e a capital do estado, que hoje é de 37 minutos na via marginal, para 22 minutos; na via expressa, a estimativa é que o deslocamento dure somente 14 minutos.

Recuperações no Trecho Fluminense:

No trecho fluminense, serão aplicados R$ 7,5 bilhões do total previsto para os 30 anos de contrato (R$ 4,6 bilhões só em ampliação da capacidade das duas rodovias).

Parte da Serra do Mar, e passagem obrigatória para quem se desloca entre Rio de Janeiro e São Paulo, a Serra das Araras (RJ) receberá atenção especial na nova concessão. Para ampliar a capacidade do trecho, tornando-o mais seguro, está previsto investimento de R$ 1,2 bilhão e 16 quilômetros de novas pistas duplicadas.

Os recursos serão aplicados na construção de uma nova pista para a subida da serra e a adequação da pista atual, tornando-a exclusiva para a descida dos veículos. Ambas as vias terão quatro faixas de rolamento por sentido. Haverá ainda a implantação de um túnel com 400 metros de extensão e de duas áreas de escape ao longo da nova pista, além de outras obras de arte especiais no trecho da serra.

Recente alteração nas tarifas de pedágio

Novidades na Lei da Balança e em caminhões semipesados
Imagem: PNE

Nos últimos dias, noticiamos aqui no Pé Na Estrada sobre as recentes alterações nas tarifas de pedágio da Dutra. Vale lembrar que as reduções nos valores de pedágios da rodovia já estavam previstas. Isso porque o edital para concessão previa que a ganhadora do direito de exploração seria a concessionária com melhor valor apresentado e mediante a redução de até 15,31% do preço vigente dos pedágios.

Também temos um conteúdo em áudio sobre a redução das tarifas de pedágio na rodovia.

Veja Também: Mudança nas tarifas e sem praças de pedágio: Veja o que prevê o novo contrato da Dutra

 

Por Daniel Santana com informações da CCR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui