segunda-feira, maio 23, 2022

Mercedes-Benz anuncia suspensão temporária das atividades

A Mercedes-Benz anunciou, no dia 4 de abril, a suspensão temporária da produção de veículos e peças. A paralisação nas atividades ocorrerá entre 18 de abril e 3 de maio, sendo concedida férias coletivas a mais de 5 mil funcionários da fábrica de São Bernardo do Campo em São Paulo e  600 de Juiz de Fora, Minas Gerais.

Motivo da suspensão temporária 

A empresa já havia interrompido as atividades por 12 dias em março deste ano, pelo mesmo motivo, a falta no suprimento de peças para montagem dos veículos. Em seu site oficial, a Mercedes-Benz notificou sobre a escassez global no fornecimento de componentes semicondutores. Esses itens compõem os chips usados para o controle de diversas funções dos veículos.

Essa falta, conforme esclarecido pela Mercedes- Benz, tem sido causada pela pandemia e pela alta demanda para fabricação de produtos eletrônicos como celulares, tablets e computadores. Devido ao conflito entre Rússia e Ucrânia, que são as principais produtoras de gás neon e paládio, produtos usados na fabricação de semicondutores, esse cenário de escassez pode se agravar ainda mais para o setor automobilístico.

Ainda, de acordo com a plataforma ComexVis, do Governo Federal, em 2021, as partes e acessórios dos veículos automotivos correspondiam a 3,3% do total dos produtos importados pelo Brasil. Em 2022 essa porcentagem caiu para 2,9%. Uma queda que pode ter relação com os problemas citados anteriormente.

O diretor do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Aroaldo Oliveira da Silva, se pronunciou sobre a suspensão da Mercedes-Benz, afirmando que essa situação das férias coletivas pela empresa revelam a falta de planejamento do governo federal por tecnologia, inovação e desenvolvimento. “Estamos reféns, mais do que nunca, da importação de semicondutores”.

Sandro Vitoriano, coordenador do Comitê Sindical na Mercedes-Benz, lamentou a paralisação no processo de produção que implicou na interrupção nas contratações, que havia iniciado em fevereiro, mas teve que ser parada em decorrência da falta de peças. Ele se diz apreensivo com relação ao segundo semestre desse ano. 

Anfavea comenta situação em coletiva

O presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, apontou que existe a previsão de melhora no cenário de produção e vendas de veículos para a partir do segundo trimestre desse ano e elogiou empresas, como a Mercedes-Benz, que têm buscado estratégias para manter os empregos. 

Ele abordou o assunto durante a coletiva de imprensa do último dia 8 de abril. Na transmissão lembrou dos impactos da pandemia no setor de produção de veículos em decorrência da falta de componentes, sobretudo dos semicondutores. “Um jornalista me perguntou, o setor automotivo vai ficar menor? O mundo vai ficar menor”, exemplificou ao relatar que a pandemia foi um dos momentos mais difíceis de sua gestão. 

O presidente apresentou dados do IHS Markit mostrando uma queda na produção de veículos leve na América do Sul entre fevereiro de março de 2022. Uma situação já esperada pelo órgão. Luiz reforçou que o problema da falta de componentes é global e que a guerra entre Rússia e Ucrânia pode ser um agravante.

Ainda, levantou a questão dependência do Brasil com relação a produção externa de insumos. “Falando de cadeia de transformação no Brasil, descobrimos que  semicondutores”. Luiz acredita que apesar das situações de crise terem trazido essas problemáticas, o fato de serem discutidas é um ponto positivo para avanços futuros.

Por Jacqueline Maria da Silva com informações dos sites Infomoney, Época Negócios e Exame

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados