quarta-feira, julho 24, 2024

Os perigos existentes ao deixar objetos soltos dentro do veículo

Durante uma viagem, seja ela curta ou longa, é muito importante que tanto condutor, quanto passageiros não ocasionem situações que possam gerar sinistros no trecho. Uma delas é quando os ocupantes deixam objetos soltos dentro do veículo enquanto trafegam, algo que coloca a integridade de todos em risco numa rodovia. Pensando nisso, a ARTESP, Agência de Transporte de São Paulo, divulgou algumas dicas para uma viagem segura.

As possíveis consequências aos condutores

De acordo com o artigo 248 do CTB, o Código de Trânsito Brasileiro, transportar objetos soltos dentro do veículo é uma infração grave, que muita gente nem sabe que comete, e pode levar a multa de R$ 195,23, além de cinco pontos na carteira.

“Art. 248

Transportar em veículo destinado ao transporte de passageiros carga excedente em desacordo com o estabelecido no art. 109:

Infração – grave;

Penalidade – multa;

Medida administrativa – retenção para o transbordo.

Em caso de uma frenagem de emergência ou manobra repentina, os objetos podem se mover e atingir o motorista, passageiros ou partes importantes do carro. Além disso, numa frenagem brusca, o peso aparente de um objeto sofre significativo aumento.

Por exemplo: um item de apenas 3 quilos, dentro de um veículo que se desloca a uma velocidade de 80 km/h, pode ter seu peso aumentado em até 80 vezes quando o veículo se aproxima da parada total (velocidade igual à 0 km/h). Em outras palavras, significa que o objeto de 3 quilos pode causar danos proporcionais a um objeto de até 240 quilos.

As possíveis consequências aos condutores
Imagem: PNE

O diretor de Operações da ARTESP, Walter Nyakas, destaca a importância do uso do porta-malas e do porta-luvas durante as viagens:

“Os carros são pensados para suportar um peso – previamente projetado pela montadora – de bagagens, em espaços destinados especificamente para isso. Para grandes volumes, o porta-malas deve ser utilizado, e para os menores que ficam mais acessíveis ao motorista ou passageiro, o porta-luvas é o indicado”.

Visando uma viagem tranquila e segura, a Agência recomenda ações pontuais como:

  • Acomodar as bagagens no veículo de forma que não atrapalhem a visão do motorista;
  • Não colocar objetos, nem mesmo os pequenos, em cima do tampão interno do porta-malas;
  • Colocar as bagagens mais pesadas primeiro no veículo;
  • Para volumes e objetos mais pesados, aconselha-se colocá-los no fundo e nas laterais do porta-malas;
  • Em relação a mochilas, sacolas e objetos mais leves, o condutor pode utilizar o centro do compartimento ou colocar por cima das malas;
  • Distribuir o peso de forma igual para não sobrecarregar apenas um lado do carro, o que pode acabar prejudicando a suspensão do veículo.

O excesso de peso também pode ser um problema

Além dos perigos de trafegar com objetos soltos dentro do veículo, o excesso de peso também é um vilão. Ele pode influenciar no maior gasto de combustível e aumentar o risco de danificar rodas, freios, pneus e até o motor.

Logo, é importante que o condutor tenha total consciência dos riscos que o excesso de bagagem pode gerar durante uma viagem, visando um melhor desempenho de seu automóvel e a segurança de todos nas estradas e rodovias.

Veja Também: Como gerenciar os riscos e evitar acidentes?

Por Daniel Santana com informações da ARTESP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados