Condições ruins em entroncamento da BR-116 preocupam condutores

Condições ruins em trecho da BR-116 preocupa condutores
Divulgação: WhatsApp

As condições ruins em vários trechos das estradas e rodovias brasileiras são uma reclamação recorrente de condutores e pedestres que necessitam se locomover pelas vias. São problemas de sinalização, nas estruturas de pontes e passarelas, na qualidade do asfalto, entre outros percalços.

Nesse sentido, recebemos um relato de um condutor sobre problemas sérios no pavimento da BR-116. O local indicado pelo motorista fica no entroncamento da 116 com a BR-251, em um trecho que liga as cidades de Salinas e Divisa Alegre no norte mineiro, já bem próximo ao estado da Bahia.

No entroncamento da BR-116 com a BR-251, em um trecho que liga as cidades de Salinas e Divisa Alegre.
Imagem: Google Maps

Os problemas no trecho

O motorista Ed Domingues, conhecido como “Ed Fadiga”, que frequentemente corta o país em sua tocada pela Rio-Bahia (BR-116), enviou-nos um relato em áudio e algumas imagens mostrando a situação da via e relatando o que ele observou por lá:

“O caminhão tem que fazer uma manobra na contramão, porque olha as ‘panela’ que tem aqui. Tá uma vergonha essa 116 […] Entra ano, sai ano, e estamos aqui sofrendo. Tem buraco esperando no acostamento para entrar na pista.”

relato em áudio e algumas imagens mostrando a situação da via
Reprodução: WhatsApp

Através do material enviado para nossa equipe, é possível observar inúmeros buracos no asfalto, além de rachaduras no solo. Chama a atenção a falta de sinalização na pista, pois não há demarcação de sentido e nem placas ao longo do perímetro. A situação dos acostamentos também não é das melhores.

E o posicionamento do DNIT/MInfra?

Entramos em contato com o DNIT e com o Ministério da Infraestrutura para possíveis esclarecimentos sobre os problemas no trecho da BR-116 no norte de Minas. Até a conclusão desta matéria, não recebemos nenhuma resposta dos órgãos. 

Vale lembrar que este trecho não é concessionado por empresas privadas, então, cabe ao DNIT realizar as devidas recuperações na pista.

A condição do asfalto nas rodovias brasileiras

De acordo com a Pesquisa CNT de Rodovias, realizada em 2021, quase metade das pistas avaliadas no país (46,9% – 51.118 quilômetros) apresenta pavimento desgastado. Nessa condição, ele pode conter, além do próprio desgaste, trincas isoladas ou em malha, remendos, desagregação, entre outros problemas.

Trincas em malha e/ou remendos foram identificadas em 34.835 quilômetro (31,9%). Em menos de 6,0% da extensão pesquisada predominaram pavimento com afundamento, ondulação e buracos (6.204 quilômetros) e em 554 quilômetros (0,5%) o pavimento foi avaliado como destruído. Apenas 15% do asfalto avaliado pelos técnicos da CNT estão em condições perfeitas.

Quase metade das pistas avaliadas no país (46,9% – 51.118 quilômetros) apresenta pavimento desgastado.
Fonte: CNT

Observando as condições ruins do asfalto na BR-116, não custa nada enfatizar que a manutenção periódica no solo de estradas e rodovias é um requisito muito importante para a existência de um bom pavimento.

Os defeitos e as irregularidades na condição da superfície afetam diretamente o bolso dos condutores pois, certamente, haverá aumento nos custos operacionais para os transportadores e demais usuários da via. Devido à elevação de gastos com a manutenção dos veículos, as viagens se tornam mais longas, assim aumentando o consumo de combustível, desgaste dos pneus, entre outros problemas.

Veja Também: Novas estruturas para substituir pontes de madeira

 

Por Daniel Santana com informações da Pesquisa CNT de Rodovias 2021

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui